14 de jul de 2010

O projeto é voltado para uso nas forças armadas, mas a tecnologia poderia se estender para a aviação comercial.

Avião a hidrogênio voa por 96 horas seguidas

Nave da Boeing, ainda em fase de demonstração, é capaz de alcançar mais de 19 mil metros de altura

São Paulo - A Boeing reveleu no início da semana o Phantom Eye, seu novo sistema de aviação não-tripulada movido a hidrogênio hidrogênio, que gera como único subproduto a água. Ainda em fase de demonstração, a nave "verde" é capaz de voar a mais de 19 mil metros de altura durante quatro dias, sem parar.

A Phantom Eye possui dois tanques com capacidade para 2,3 litros, 150 cavalos de potência em cada um dos seus quatro motores, 45 metros de envergadura de asas, viaja a 277 km/h, e carrega pouco mais de 200 kg de carga.

Nos próximos meses, ela será enviada à ao Centro de Pesquisa de Vôo Dryden, da NASA, na Base Aérea Edwards, Califórnia. Lá, passará por testes em solo para se preparar para o primeiro vôo, no início de 2011, que deve durar entre quatro e oito horas.

Inicialmente, o projeto é voltado para uso nas forças armadas, mas a tecnologia poderia se estender para a aviação comercial.

Além da Boeing e da NASA, outras empresas participam do projeto, como a Ford Motor Company (motores), Aurora Flight Sciences (asas); Mahle Powertrain (controles de propulsão); Ball Aerospace (tanques de combustível) e a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency), agência do governo dos Estados Unidos.

Paula Rothman | 14/07/2010 | 16:03

Nenhum comentário:

Postar um comentário