20 de jul de 2010

Não adianta ficar feliz que terá as mordomias de seu lar. Na hora do trabalho o que manda são os prazos, afinal haverá cobranças.

Dicas para ser produtivo trabalhando em casa

Trabalhar em casa pode ser bom, mas alguns cuidados devem ser tomados. Para não errar, siga a dica do especialista

Por Flávia Gianini
Arrume-se para o trabalho

É aconselhável que o profissional se vista como se fosse à empresa, e que também estabeleça regras de convivência para não ser interrompido durante o período de trabalho, pois tarefas como ir ao supermercado, apanhar roupa na lavanderia ou buscar os filhos na escola podem interferir na rotina profissional.

Crie uma infraestrutura

O mobiliário deve ser funcional, confortável e adequado para pequenos escritórios. O reaproveitamento de móveis da casa pode ser feito, mas esses móveis devem ser de uso exclusivo do profissional, sem confundi-los com aqueles que já são de uso doméstico.

Mantenha a concentração

O profissional deve ter objetivos claros sobre o negócio pretendido para que o escritório doméstico não se transforme em local de execuções apenas de “bicos”. Também é necessário ter iniciativa, oferecer serviço de qualidade e ter disciplina para evitar a interferência da família ou moradores do imóvel na atividade profissional.

Oriente a família

A família deve ser orientada e esclarecida sobre o exercício do trabalho à distância. Filhos, e cônjuges destes profissionais devem saber como lidar com a presença dos pais em casa.

Priorize as instalações

Se possível, uma entrada independente na casa permite maior privacidade no trabalho. É importante também que seja reservado um lugar só para o escritório doméstico. É recomendado o reaproveitamento de áreas disponíveis e com espaço razoável como edícula, garagem, área de serviço ou terraço.

Separe as despesas
      
A despesa do escritório também deve ser separada da doméstica por meio de uma contabilidade à parte, que deve incluir gastos com material de escritório, contas telefônicas, energia elétrica e mensalidade devida ao provedor de acesso à internet, entre outros.

Fonte: Álvaro Mello, especialista em teletrabalho e professor da Business School São Paulo
19/07/2010 - 10:05



Nenhum comentário:

Postar um comentário