2 de jul de 2010

Até sem querer, ele polemiza.

Conar corta Romário da programação



Conselho de ética do órgão determinou que o filme da Kaiser, estrelado pelo jogador, não seja mais exibido


Bárbara Sacchitiello | 1 de Julho de 2010 às 17:30


O que era uma liminar se transformou em sentença definitiva. A partir de agora a Kaiser está proibida de veicular ocomercial estrelado pelo craque Romário, criado pela Fischer+Fala, que entrou no ar no dia 18 de junho - mas que, desde o dia 23, não era mais exibido na TV por conta de uma liminar provisóriado Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar).

O motivo da suspensão é a insinuação negativa que o filme publicitário faz a respeito da Brahma, marca concorrente. No comercial, que tem como tema a Copa do Mundo, Romário fala de sua amizade com Dunga e revela gostar muito do técnico da seleção brasileira. Ele enfatiza, porém, que o único defeito de Dunga é a cerveja que ele escolheu - em uma alusão indireta a marca da Ambev, que é patrocinadora oficial da seleção brasileira.

Bastaram dois dias de veiculação para que a concorrência se sentisse ofendida e entrasse com um processo junto ao Conar. O órgão imediatamente enviou uma liminar prévia pedindo a suspensão da veiculação do comercial. Essas medidas prévias são concedidas somente quando o Conar julga que a continuidade da exibição pode causar danos ou prejuízos sérios aos concorrentes.

Como resposta, a Heineken Brasil - proprietária da Kaiser - enviou um comunicado no qual afirma ter acatado a decisão do Conar, mas prometendo entrar com recursos para suspender a liminar. A marca julga que "a nova campanha com o jogador Romário se encontra dentro dos padrões éticos de propagandas comparativas e em nenhum momento ofende ou denigre qualquer marca concorrente."

A partir de agora, porém, a reunião realizada nesta quinta-feira 1º determinou, por unanimidade, a suspensão da campanha.

Outros casosNessa mesma reunião do Conselho do Conar outras sentenças foram dadas a processos que estavam em andamento no Conselho. 

Um fato curioso foi o arquivamento do processo de reclamação contra a campanha "Xixi no Banho", da SOS Mata Atlântica. O conselho julgou que as acusações não procediam e isentou a campanha de qualquer suspensão. Na semana passada, o case "Xixi no Banho" foi um dos grandes destaques brasileiros em Cannes, conquistando Leões em PR, Film Craft e sendo o primeiro case brasileiro a ganhar um troféu em Titanium.

A 1ª Câmara, que seu reuniu na manhã desta quinta-feira, 1º, também determinou a suspensão da campanha da Bombril, "Dá de 1001 a zero nos inimigos da natureza".



Nenhum comentário:

Postar um comentário