19 de abr de 2011

A raposa pega pela rede social, que derrubou as ações de uma grande empresa.

Após polêmica na internet, Arezzo recolhe produtos

Após lançar sua coleção de inverno, que conta com peças fabricadas a partir de pele de animais, a Arezzo enfrentou protestos de usuários do Twitter e decidiu retirar os produtos das lojas.

Após reclamações e ameaças de boicote à marca nas redes sociais Twitter e Facebook, a Arezzo decidiu tirar de circulação os acessórios da coleção Pelemania de inverno que têm como matéria-prima peles verdadeiras de animais, principalmente de raposa.

"A Arezzo entende e respeita as opiniões e manifestações contrárias ao uso de peles exóticas na confecção de produtos de vestuário e acessórios", afirma a marca em comunicado divulgado na tarde desta segunda-feira (18/4).

Mesmo assim, a empresa afirma que suas peças são "devidamente regulamentadas e certificadas, cumprindo todas as formalidades legais que envolvem a questão".

"Não entendemos como nossa responsabilidade o debate de uma causa tão ampla e controversa", acrescenta o comunicado.
De acordo com o documento divulgado em sua página no Facebook, a Arezzo disse que irá recolher os produtos que geraram tanta controvérsia em "respeito aos consumidores contrários ao uso desses materiais".

Apenas os produtos produzidos com peles sintéticas devem continuar nas lojas.

A hashtag (termo utilizado no Twitter com o símbolo #) #arezzo era o segundo assunto mais comentado do Brasil na tarde de hoje.

Na BM&FBovespa, as ações da companhia (ARZZ3) registraram baixa, com queda de 0,28%, cotadas a R$ 24,88.

Weruska Goeking (wgoeking@brasileconomico.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário