2 de fev de 2011

Crescimento de 28,1% nos primeiros 11 meses

Internet deve ter 6,5% da verba publicitária em 2011

Estimativa do IAB Brasil é que os investimentos no canal cresçam em torno de 25% em 2011

Embaladas pelo crescimento constante dos investimentos publicitários na internet brasileira, as perspectivas do Interactive Advertising Bureau Bureau (IAB Brasil) para o decorrer de 2011 são igualmente otimistas às vistas nos últimos anos.
Depois de, segundo dados do Projeto Inter-Meios, o canal ter registrado crescimento de 28,1% nos primeiros onze meses de 2010, a expectativa da entidade é que o ritmo se mantenha e que, durante esse ano, a verba publicitária dirigida à rede aumente cerca de 25%.

Dessa forma, os investimentos bateriam a casa do R$ 1,5 bilhão e a participação do meio – que hoje responde por pouco menos de 4,5% - saltaria para, no mínimo, 6,5% do bolo total. "Essa é uma projeção mínima se levarmos em conta o potencial ainda ser explorado. Claro, que se a esse número forem somados os investimentos feitos em outras mídias que não a display, como, por exemplo, os links patrocinados, a internet já conta hoje com cerca de 10% da verba que circula pelo País", comenta Fábia Juliasz, CEO do Ibope/NetRatings e vice-presidente de fornecedores do IAB Brasil.
Já no que diz respeito ao número de pessoas com acesso à internet no Brasil, a entidade está prevendo a população de internautas chegue a pouco mais de 81 milhões frente aos 73,7 milhões do ano passado. "Esses números consideram os internautas com idade igual ou superior a 16 anos. Se colocarmos na conta as crianças que têm entre seis e 16 anos, a expectativa é que fechemos 2011 com mais de 85 milhões de usuários", diz Fábio Coelho, presidente do IAB Brasil e do iG.

Dado curioso ressaltado durante o encontro que aconteceu na manhã desta terça-feira, 1º, é o avanço dos sites jornalísticos no ambiente online. De acordo com Coelho, eles compõem a quarta categoria mais acessada pelos internautas, perdendo apenas para as redes sociais, email e sites de buscas. "O fato de os próprios jornais estarem olhando com mais atenção para a internet em razão da perda de receita pelo impresso, fez com que a categoria saltasse da sétima colocação em 2009 para a quarta posição no ano passado", comentou Coelho.

Com o aumento do inventário disponível e no número de anunciantes interessados em usar os telefones celulares como canal de comunicação, a entidade trabalha com a perspectiva de que o acesso à internet pelos dispositivos móveis triplique nos próximos meses. Para o IAB será possível ainda ver crescer em 100% o número de pageviews mensais com origem no acesso móvel.

Mariana Ditolvo | 1/02/2011 | 16h16

Nenhum comentário:

Postar um comentário