19 de ago de 2010

Estratégia faz mudar o tipo de carne.


Seara centra suas atenções no lançamento de 120 produtos




O frigorífico brasileiro Marfrig está promovendo a convergência de seus produtos sob o nome Seara para otimizar os investimentos da companhia na reativação e internacionalização da marca.
No mais recente passo dessa estratégia, o grupo acaba de lançar cortes de carne bovina com essa bandeira, que originalmente só trabalhava com carnes de aves e suínos.
"O Marfrig tem tradição em trabalhar marcas no mercado de carne bovina, com Bassi e Montana", avalia o consultor Osler Desouzart, especialista no mercado de proteínas animais.
Com a integração de várias plataformas sob uma mesma marca, os pesados investimentos no nome ficam diluídos.
No caminho da ampliação da linha de produtos,
a Seara também está lançando pratos prontos,
como pizzas, sanduíches e massas
A Seara é patrocinadora oficial do Santos Futebol Clube, da seleção brasileira de futebol e da Copa do Mundo de Futebol desde antes da última edição do evento, na África do Sul, até a Copa no Brasil, em 2014.
Além da marca principal, nomes regionais do Marfrig como Moy Park (Europa), Pemmican (Estados Unidos) e Paty (Argentina) também tiveram seus logotipos expostos durante os jogos da Copa na África em que as seleções correspondentes entraram em campo.
No caminho da ampliação da linha de produtos, a Seara também está lançando pratos prontos, como pizzas, sanduíches e massas, na busca pelos nichos de maior valor agregado.
A Cargill, proprietária anterior da companhia, focou a Seara nas exportações de frango in natura. "Estamos lançando 120 produtos Seara", diz o diretor de relações com investidores, Ricardo Florence.
A companhia aplicou R$ 46 milhões em marketing no segundo trimestre deste ano, mas a metade desse valor é de investimentos não-recorrentes.
O balanço do trimestre indicou, em parte por causa desse investimento, um crescimento das despesas comerciais e com vendas muito acima do aumento da receita.
Essas despesas dobraram para R$ 458 milhões, ante o mesmo período de 2009, enquanto a receita cresceu pouco menos de 50% na mesma comparação.

Luiz Silveira | 19/08/10 | 19h47

Nenhum comentário:

Postar um comentário