10 de ago de 2010

Enxugar para crescer.

Banco do Brasil acaba com a marca Nossa Caixa


A marca Nossa Caixa vai desaparecer até o fim deste mês. Nas agências, toda a sinalização será alterada para Banco do Brasil (BB) até sexta-feira. Em outros pontos de atendimento, a mudança termina no fim deste mês.
O único lugar em que o nome resistirá - no máximo até dezembro - é em uma campanha publicitária voltada para os funcionários públicos do Estado de São Paulo.
As informações são de Dan Conrado, principal executivo do BB no Estado, responsável pelas operações do antigo banco estatal paulista.
A Nossa Caixa foi vendida para o BB em novembro de 2008. O controle efetivo das operações se deu a partir de novembro do ano passado.
Segundo Conrado, nesse período, foi feita toda a migração tecnológica. Um dos objetivos da mudança rápida foi estancar uma escalada de fraudes.
"Houve um mês em que registramos 5.800 fraudes na Nossa Caixa", afirmou Conrado. "Em junho, esse número caiu para 90." Ele atribuiu o forte recuo à adoção de cartões de crédito e débito com chip.
O executivo explicou que a decisão de acabar com a marca Nossa Caixa teve como base pesquisas realizadas com clientes. "Apesar de haver um vínculo forte do cliente com o banco Nossa Caixa, isso não se traduzia em fidelidade de negócio", disse. "O cliente dizia: "Eu gosto do banco, mas ele não tem um portfólio de produtos para me atender"."
Com a expressiva consolidação do setor bancário brasileiro nos últimos anos, diversas marcas conhecidas desapareceram. Entre elas, Nacional, Banespa, Bamerindus e, mais recentemente, Real e Unibanco.
Reclamações. Nos últimos meses, o número de queixas de clientes contra a migração da Nossa Caixa para o BB disparou. Conrado diz que o desconforto inicial é normal. Para ele, à medida que a nova situação se consolidar, as queixas vão diminuir.
Ainda assim, o executivo orienta que clientes do banco que estejam com problemas procurem os canais de comunicação da instituição para buscar uma solução.
Ele dá como exemplo o pacote de tarifas. Segundo Conrado, nenhum cliente deve pagar mais pelos serviços no BB do que gastava na Nossa Caixa.
Em 2009, a Nossa Caixa tinha 1.378 pontos de atendimento no Estado. Hoje, contando a estrutura do BB, são 2.895, entre agências e outros pontos de atendimento bancário.
Dívida fecha agência em MS
A agência central do Banco do Brasil em Campo Grande reabriu ontem, depois de ter fechado as portas para pagar uma dívida de R$ 41 milhões, na sexta-feira. O dinheiro seria sacado pelos familiares do primeiro governador do MS, Harry Amorim Costa, credor da Nossa Caixa, comprada pelo BB. Ocorreram transtornos para os clientes, que só tiveram à disposição os caixas eletrônicos.

Leandro Modé | 10/08/2010 | 0h 00

Nenhum comentário:

Postar um comentário