28 de jun de 2010

G20 elimina menção à reforma do iuan em comunicado final

G20 elimina menção à reforma do iuan em comunicado final

segunda-feira, 28 de junho de 2010 07:33

TORONTO 28 de junho (Reuters) - Os principais líderes globais desistiram de elogiar a flexibilização cambial da China no comunicado da cúpula do G20 em Toronto no domingo, destacando a sensibilidade do país sobre a questão.

Mas o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que tem pressionado pela valorização do iuan para diminuir desigualdades comerciais, saudou a medida chinesa e disse acreditar que, ao longo do tempo, a moeda irá se apreciar de forma significativa.

Os negociadores esperavam que a declaração a ser assinada pelos líderes no Canadá incluísse algo de positivo sobre o anúncio feito na semana passada sobre a flexibilização do iuan.

"A maioria dos membros do G20 deu boas-vindas aos planos do governo da China de introduzir uma taxa flutuante para o iuan", disse Andrei Bokarev, autoridade do Ministério das Finanças russo, a jornalistas.

Porém, a frase que dizia isso no esboço do comunicado foi descartada da versão final "a pedido dos chineses", disse ele.

Duas autoridades afirmaram que a frase que estava presente no sábado foi eliminada menos de 24 horas depois. "A China não quer ser mencionada explicitamente, nem mesmo como um bom caso", disse uma das autoridades.

Autoridades chinesas disseram que a discussão sobre a moeda de seu país não tem lugar em fóruns internacionais, e o presidente chinês, Hu Jintao, não mencionou a política cambial no discurso aos líderes do G20 no domingo.

Ao invés disso, ele disse que a China reconhece que tem um papel essencial em ajudar a reequilibrar a economia global, mas disse que as mudanças necessárias não acontecem da noite para o dia.

Muitos economistas argumentam que o iuan está subvalorizado em cerca de 20 por cento frente ao dólar, e que uma apreciação mais realista é vital para equilibrar a economia mundial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário