28 de jun de 2010

Documentação eletrônica para transportadoras

O Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) vem se tornando cada vez mais comum no Brasil, embora ainda não seja obrigatório. O principal impacto da documentação eletrônica é na utilização da Tecnologia da Informação (TI), que atualmente ainda não é explorada pela maioria das empresas de transportes de pequeno e médio porte.

Para o consultor da G2KA Sistemas, Roberto Doria, o transportador não tem o hábito de repassar aos clientes informações sobre a entrega e a coleta das mercadorias. “O uso dos documentos eletrônicos transparece maior segurança, pois a empresa que investe em CT-e informa, muitas vezes em tempo real, o status sobre onde está a mercadoria”, ressalta.

O consultor alerta que, ao decidirem aderir e investir no CT-e, as transportadoras devem procurar desenvolvedores de TI que tenham uma ferramenta para atender às solicitações da lei, mas, acima de tudo, que tenham experiência no segmento do transporte e das rotinas, principalmente operacionais”.

Recentemente, a G2KA lançou o Portal de Digitação de Conhecimentos de Transporte Eletrônico, que permite a emissão do CT-e de forma simples e com baixo investimento. É a primeira iniciativa do gênero no Brasil. Trata-se de um ambiente online, acessível em qualquer local com conexão à Internet, sem a necessidade de aquisição de um software de gestão de transportes.

Matéria publicada no:

Nenhum comentário:

Postar um comentário